Source Pravda.Ru

Ao vivo numa guerra

O microfone numa mгo... e uma arma na outra. Geraldo Rivera, repуrter da estaзгo televisiva norte-americana Fox News, actualmente a acompanhar o conflito no Afeganistгo, partiu armado para o territуrio afegгo. Um facto que transformou Rivera em notнcia e que estб a levantar um debate em torno da legitimidade dos jornalistas se armarem, em nome da sua defesa pessoal.

O repуrter da Fox News justifica a decisгo em face da inseguranзa que se vive no Afeganistгo, onde foram jб assassinados oito jornalistas. Rivera diz, aliбs, que jб se viu envolvido num incidente quando, no inнcio do mкs, perto de Jalalabad, foram disparados tiros na sua direcзгo.

O argumento da autodefesa nгo tem, no entanto, evitado as crнticas ao repуrter. Em declaraзхes а agкncia Associated Press, Peter Arnett, antigo correspondente de guerra da CNN, afirmou que "ao saber-se que um jornalista anda armado, isso torna a vida mais difнcil para todos". Transportar uma arma poderб fazer com que os soldados "olhem para os repуrteres, particularmente os americanos, como oponentes", sublinha Arnett. O jornalista admite ter andado armado, ocasionalmente, durante a guerra do Vietname, mas afirma que deixou de o fazer face aos avisos de que esta era uma decisгo insensata.

O mesmo afirma Steve Bell, ex-correspondente de guerra da ABC News. Capturado por soldados vietnamitas no Camboja, em 1970, Bell conseguiu convencer os soldados que era jornalista e nгo um agente da CIA. "Se tivesse uma arma comigo, dificilmente esse argumento teria resultado", afirma Bell.

Para Rivera, o facto de transportar uma arma assumiu proporзхes injustificadas. "Faz-me sentir doente que se diga que ponho os outros jornalistas em risco. Й um disparate", afirmou, dizendo-se injustiзado: "Isto faz-me parecer como um apresentador de um talk show tablуide [a sua anterior funзгo] que vai para a guerra. Й muito injusto."

A atitude de Geraldo Rivera contraria o disposto na Convenзгo de Genebra - da qual os EUA sгo signatбrios - que estabelece, para pessoas especialmente protegidas em palcos de conflito (caso do pessoal mйdico, religiosos ou jornalistas) o direito а livre circulaзгo, em determinadas condiзхes e desde que se encontrem devidamente identificadas e desarmadas.

Entre as grandes estaзхes televisivas americanas, a NBC proibe os seus jornalistas de andarem armados em reportagem. Na sequкncia do debate provocado pelo caso Rivera, a CBS e a CNN jб afirmaram que, embora nгo estabeleзam qualquer proibiзгo formal, os seus repуrteres nгo tкm armas. A inseguranзa no Afeganistгo levou, no entanto, vбrias empresas a contratarem equipas de seguranзa, que acompanham os jornalistas para as бreas consideradas de maior risco.

Pravda.Ru

Years of diplomatic conflict resolution efforts in Syria produced no breakthroughs. Washington and its imperial partners want endless war and regime change, not peace.

Russian Foreign Ministry on Syria, Ukraine and Britain

The British public made a mistake two years ago, easily led by a campaign of false promises and lies. Today REMAIN would win 60%-40% at the very least.

We, the People of Britain, do not want Brexit

Years of diplomatic conflict resolution efforts in Syria produced no breakthroughs. Washington and its imperial partners want endless war and regime change, not peace.

Russian Foreign Ministry on Syria, Ukraine and Britain