Source Pravda.Ru

Entendendo os fatos

Syed Ahmed Bukhari, chefe muçulmano na Índia, classificou os ataques terroristas contra as Torres Gêmeas e o Pentágono como "ira divina" resultante da "política tirânica" adoptada pelos Estados Unidos contra os demais povos.Terá razão o clérigo indiano? Vejamos a resposta nos fatos.BREVE HISTÓRIA DO IMPERIALISMO AMERICANODesde 1945 os Estados Unidos intervieram em mais de 20 países.Desde a Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos lançaram bombas em 23 países. Estes incluem:China 1945-46, Coréia 1950-53, China 1950-53, Guatemala 1954, Indonésia 1958, Cuba 1959-60, Guatemala 1960, Congo 1964, Peru 1965, Laos 1964-73, Vietnam 1961-73, Cambódia 1969-70, Guatemala 1967-63, Granada 1983, Líbano 1984, Líbia 1986, El Salvador 1980, Nicarágua 1980, Panamá 1989, Iraque 1991-99, Sudão 1998, Afeganistão 1998 e Jugoslávia 1999. No pós Segunda Guerra os Estados Unidos ajudaram na perpetração de mais de 20 golpes de estado através do mundo; a CIA foi responsável pelo assassinato de meia dúzia de chefes de estado.Eis um sumário da estratégia imperialista americana desde 1890:Argentina -- 1890 - Tropas enviadas a Buenos Aires para proteger interesses económicos americanos.  Chile - 1891 -Fuzileiros Navais enviados para esmagar rebeldes nacionalistas.  Haiti - 1891 - Tropas americanas suprimiram revolta de operários negros na ilha Navassa, reclamada pelos Estados Unidos.  Havaí - 1893 - Marinha enviada para suprimir o reinado independente; Havaí anexada aos EE. UU.  Nicarágua - 1894 - Tropas ocuparam Bluefields, cidade no Mar do Caribe, durante um mês.  China - 1894-95 - Marinha, Exército e Fuzileiros Navais desembarcaram durante a guerra sino-japonesa.  Coréia - 1894-96 - Tropas permaneceram em Seul durante a guerra.  Panamá - 1895 - Exército, Marinha e Fuzileiros Navais desembarcaram no porto de Corinto.  China - 1894-1900 - Tropas ocuparam a China durante a Rebelião Boxer.  Filipinas - 1898-1910 - Marinha e Exército desembarcaram após a queda das Filipinas na guerra hispano-americana: 600.000 filipinos foram mortos.  Cuba - 1898-1902 - Tropas sitiaram Cuba na guerra hispano-americana: os Estados Unidos mantêm soldados na base militar de Guantânamo até hoje.  Porto Rico - 1898-até o presente - Tropas sitiaram Porto Rico na guerra hispano-americana e lá permanecem até hoje.  Nicarágua - 1898 - Fuzileiros Navais invadem o porto de San Juan del Sur.  Samoa - 1899 - Tropas desembarcaram em consequência de batalha pela sucessão no trono.  Panamá - 1901-14 - Marinha apoiou a revolução quando Panamá reclamou independência da Colômbia; tropas americanas ocuparam a Zona do Canal desde 1901, quando teve início a construção do canal.  Honduras - 1903 - Fuzileiros Navais desembarcaram e intervieram na revolução.  República Dominicana - 1903-04 - Tropas invadiram para proteger interesses americanos durante revolução.  Coréia - 1904-05 - Fuzileiros Navais desembarcaram durante a guerra russo-japonesa.  Cuba - 1906-09 - Tropas desembarcaram durante uma eleição.  Nicarágua - 1907 - Tropas invadiram e impuseram um protectorado.  Honduras - 1907 - Fuzileiros Navais desembarcam durante a guerra de Honduras com a Nicarágua.  Panamá - 1908 - Fuzileiros Navais enviados durante uma eleição.  Nicarágua - 1910 - Fuzileiros Navais desembarcam pela 2.ª vez em Bluefields e Corinto.  Honduras - 1911 - Tropas enviadas para proteger interesses americanos durante guerra civil.  China - 1911-41 - Marinha e tropas enviadas durante repetidos combates.  Cuba - 1912 - Tropas enviadas para proteger interesses americanos em Havana.  Panamá - 1912 - Fuzileiros Navais ocupam o país durante eleição.  Honduras - 1912 - Tropas enviadas para proteger interesses americanos.  Nicarágua - 1912-33 - Tropas ocuparam o país e combateram guerrilheiros durante 20 anos de guerra civil.  México - 1913 - Marinha recolheu americanos durante revolução.  Rep. Dominicana - 1914 - Marinha luta contra rebeldes em Santo Domingo.  México - 1914-18 - Marinha e tropas intervêm contra nacionalistas.  Haiti - 1914-34 - Tropas ocuparam Haiti após uma revolução e lá se mantiveram durante 19 anos.  Rep. Dominicana - 1916-24 - Fuzileiros Navais ocupam o país durante oito anos.  Cuba - 1917-33 - Tropas desembarcam e permanecem durante 16 anos; Cuba torna-se protectorado económico.  1.ª Guerra Mundial - 1917-18 - Marinha e Exército combatem as potências do Eixo na Europa.  Rússia - 1918-22 - Marinha e tropas enviadas à Rússia Oriental para combater a Revolução Bolchevista; o Exército realizou cinco desembarques.  Honduras - 1919 - Fuzileiros Navais em Honduras durante eleições.  Guatemala - 1920 - Tropas ocupam o país por duas semanas durante greve operária.  Turquia - 1922 - Tropas combatem nacionalistas em Smirna.  China - 1922-27 - Marinha e Exército deslocados durante revolta nacionalista.  Honduras - 1924-25 - Tropas desembarcam duas vezes durante eleição nacional.  Panamá - 1925 - Tropas enviadas para debelar greve geral.  China - 1927-34 - Fuzileiros Navais ficam estacionados durante sete anos através do país.  El Salvador - 1932 - Navios de guerra deslocados durante revolta FMLN comandada por Marti.  2.ª Guerra Mundial - 1941-45 - Militares combatem potências do Eixo Roma/Berlim/Tóquio. No Dia "D", 6/6/1944, americanos e aliados invadem a França somente porque perceberam que os russos estavam ganhando a guerra sozinhos. Com efeito, a invasão foi contra a Rússia.  Jugoslávia - 1946 - Marinha na costa do país em resposta a um avião americano abatido.  Uruguai - 1947 - Bombardeiros enviados para um show de força militar.  Grécia - 1947-49 - Operações dos Estados Unidos garantem vitória da extrema direita nas "eleições".  Alemanha - 1948 - Militares destacados durante o Bloqueio de Berlim; ponte aérea durou 444 dias.  Filipinas - 1948-54 - CIA dirige guerra civil contra a revolta Filipino Huk.  Porto Rico - 1950 - Militares ajudam a esmagar rebelião de independência em Ponce.  Guerra da Coréia - 1951-53 - Militares intervêm na guerra.  Iran - 1953 - A CIA orquestrou a derrubada de Mossadegh, democraticamente eleito, e restaurou o Xá no poder.  Vietnam - 1954 - Os Estados Unidos oferecem armas aos franceses na batalha contra Ho Chi Minh e o Vietminh.  Guatemala - 1954 - A CIA derruba Arbenz, democraticamente eleito, e impõe o Coronel Armas no governo.  Egito - 1956 - Fuzileiros Navais enviados para evacuar estrangeiros depois que Nasser nacionalizou o Canal de Suez.  Líbano - 1958 - Marinha apoia o Exército de ocupação do Líbano durante sua guerra civil.  Panamá - 1958 - Tropas desembarcam após demonstrações dos panamenhos ameaçando a Zona do Canal.  Vietnam - 1950-75 - Guerra do Vietnam. Dois milhões de vietnamitas assassinados pelos invasores americanos.  Cuba - 1961 - A CIA dirigiu a fracassada invasão da Baía dos Porcos, objectivando derrubar Fidel Castro.  Cuba - 1962 - Marinha isola Cuba durante a crise dos mísseis.  Laos - 1962 - Militares ocupam Laos durante guerra civil contra guerrilhas do Pathet Lao.  Panamá - 1964 - Tropas enviadas e panamenhos mortos enquanto protestavam contra a presença americana na Zona do Canal.  Brasil - 1964 - Estados Unidos favoreceram ditadura militar sanguinária, que durou mais de 20 anos.  Indonésia - 1965 - CIA orquestrou golpe militar. Cerca de 300.000 indonésios mortos.  Rep. Dominicana - 1965-66 - Tropas enviadas durante eleição nacional.  Guatemala - 1966-67 - Boinas Verdes invadem o país.  Cambódia - 1969-75 - Militares enviados depois que a guerra do Vietnam se expandiu ao Cambódia.  Oman - 1970 - Fuzileiros Navais desembarcam preparando invasão do Iran.  Laos - 1971-75 - Americanos bombardeiam a região rural durante guerra civil laociana.  Chile - 1973 - CIA orquestrou o golpe que matou o Presidente Allende, eleito democraticamente, e ajudou na instalação do regime militar sob o General Pinochet.  Cambódia - 1975 - 28 americanos mortos na tentativa de resgatar a tripulação do Mayaquez, que tinha sido sequestrada.  Angola - 1976-92 - CIA ajuda rebeldes da África do Sul na luta contra Angola marxista.  Iran - 1980 - Fracassou a tentativa americana de resgatar 52 reféns mantidos na Embaixada Americana em Teerão.  Líbia - 1981 - Caças americanos abateram dois caças líbios.  El Salvador - 1981-92 - CIA, tropas e assessores colaboram na luta contra a FMLN.  Nicarágua - 1981-90 - CIA e NSC dirigem a guerra contra os Sandinistas.  Líbano - 1982-84 - Fuzileiros Navais ocuparam Beirute durante a guerra civil. 241 fuzileiros foram mortos em atentado ao quartel americano; Reagan retirou suas tropas para o Mediterrâneo.  Honduras - 1983 - Tropas enviadas para construir bases em regiões próximas à fronteira.  Granada - 1983-84 - Invasão americana derrubou o governo Maurice Bishop.  Iran - 1984 - Caças americanos abatem dois aviões iranianos no Golfo Pérsico.  Líbia - 1986 - Aviões americanos bombardeiam alvos em Trípoli e cercanias.  Bolívia - 1986 - Exército americano ajuda tropas bolivianas em incursões nas áreas de cocaína.  Iran - 1987-88 - Estados Unidos intervêm ao lado do Iraque na guerra contra o Iran.  Líbia - 1989 - Marinha abate mais dois jactos líbios.  Ilhas Virgens - 1989 - Tropas desembarcam durante revolta popular.  Filipinas - 1989 - Força Aérea deu cobertura ao governo durante golpe.  Panamá - 1989-90 - 27.000 americanos desembarcam para destituir o Presidente Noriega; mais de 2.000 civis panamenhos mortos.  Libéria - 1990 - Tropas entraram no país para evacuar estrangeiros durante guerra civil.  Arábia Saudita - 1990-91 - Tropas americanas destacadas para a Arábia Saudita, que era base militar na guerra contra o Iraque. Lá permanecem até hoje.  Kuwait - 1991 - Tropas intervieram no Kuwait para repelir Saddam Hussein. Mais de 130.000 iraquianos trucidados.  Somália - 1992-94 - Tropas ocupam o país durante guerra civil.  Bósnia - 1993-95 - Força Aérea bombardeia a "zona proibida aos aviões" durante guerra civil na Jugoslávia.  Haiti - 1994-96 - Marinha e tropas americanas bloqueiam o país contra o governo militar do Haiti. CIA restaurou Aristide no poder.  Zaire - 1996-97 - Fuzileiros Navais enviados à área dos campos de refugiados Hutus, onde a revolução congolesa começou.  Albânia - 1997 - Tropas deslocadas durante evacuação de estrangeiros.  Sudão - 1998 - Mísseis americanos destruíram centro industrial farmacêutico onde se supunha que componentes do "gás nervoso" eram fabricados.  Afeganistão - 1998 - Mísseis lançados contra supostos campos de treinamento de terroristas.  Jugoslávia - 1999 - Bombardeios e ataques com mísseis efectuados pelos Estados Unidos e OTAN conjuntamente, durante onze semanas contra Milosevic; não é conhecido o número de inocentes massacrados.  Iraque - 1998-2001 - Mísseis lançados contra Baghdad e outras grandes cidades iraquianas durante quatro dias. Jactos americanos patrulham a "zona proibida aos aviões" e prosseguem os ataques contra alvos iraquianos desde dezembro de 1998.  Afeganistão - 2001 - Ataques aéreos e massacre de populares inocentes, sob o pretexto de capturar Osama Bin Laden. Estes *100* exemplos de intervenção militar americana não incluem as ocasiões em que os Estados Unidos:-(1) deslocaram militares para policiar os mares; (2) mobilizaram a Guarda Nacional; (3) enviaram navios de guerra às costas de numerosos países em demonstrações de força; (4) enviaram tropas adicionais a regiões onde os americanos já estavam estacionados; (5) realizaram operações secretas onde forças americanas não estavam directamente subordinadas ao Comando Americano; (6) usaram reféns para resgatar unidades; (7) usaram pilotos americanos para tripular aviões estrangeiros; (8) realizaram treinamento militar e programas de assessoria militar que não envolviam combate directo.

ABSOLVIÇÃO DE BIN LADEN

Consideremos a seguinte hipótese, baseada em raciocínio policial: Osama Bin Laden pode ser inocente dos atentados às Torres Gêmeas e ao Pentágono. Por que? Embora tivesse motivos, meios e oportunidade, ele nada teria a ganhar. Muito ao contrário, Bin Laden teria muito a sacrificar, como os fatos estão mostrando hoje. Ele perdeu o respeito de muitas pessoas no mundo inteiro e seguramente está a ponto de ser assassinado sem piedade. Além deste raciocínio, aplicado sempre que não é possível solucionar rapidamente um crime misterioso, há evidências que merecem destaque. A identidade verdadeira de quatro dos 19 sequestradores suicidas permanece em dúvida, e investigadores do FBI receiam que nunca possam identificar todos conclusivamente. Por que não todos eles? O FBI reconhece que alguns terroristas podem ter usado credenciais furtadas. Por que não todos eles? Diplomatas da Arábia Saudita informaram que pelo menos cinco dos "suicidas" estão vivos e são cidadãos respeitáveis no país. Vários tinham mais de um passaporte e carteiras de motorista, apresentando nomes e datas de nascimento diferentes. Mais uma vez a mesma pergunta: Por que não todos eles? Osama Bin Laden, que não é retardado mental, negou autoria e qualquer ligação com os ataques. O "tape" divulgado recentemente pelo governo americano, contendo sua admissão de autoria é com certeza forjado. Mesmo que esteja mentindo e seja o responsável, ele jamais teria deixado um tão grande número de "evidências" incriminando sua rede terrorista. Entre estas a carta encontrada (ou certamente plantada) na bagagem de um dos sequestradores do avião que se espatifou na Pensilvânia, encorajando-o a sacrificar-se e prometendo-lhe felicidade eterna no Paraíso. Cópia dessa carta foi descoberta (ou plantada) na mala de um árabe detido pouco depois do "acidente", que não foi assim tão acidental, pois persiste a suposição de ter sido abatido pela Força Aérea. A presente análise exclui as "provas" mostradas a Tony Blair, NATO, Paquistão e outros governos, porque são "secretas" e nada confiável sabemos a respeito. Há algo mais a ser indagado. Por que Mr. Bush declarou Bin Laden o único culpado pelos ataques? Não sabia ele que Muammar Qadhafi e Saddam Hussein também tinham motivo, meios e oportunidade para praticar a mesmas acções? Claro que nós temos de desclassificá-los, pois teriam igualmente muito a perder. Então, quem seria o responsável pelos atentados? Naturalmente alguém com muito a ganhar e nada a perder. Evidentemente o primeiro suspeito é o Mossad, o poderoso serviço secreto de Israel. Perpetrando este monstruoso crime, o Mossad desencadearia o inferno sobre o mundo muçulmano, como de fato está ocorrendo. O terrorismo praticado por Israel contra os palestinos deixou de ser manchete de primeira página. Mas quem seriam os executores da missão suicida? Provavelmente judeus ou americanos fanáticos da extrema direita, como sucedeu no episódio de Oklahoma, ou ainda prisioneiros com a promessa de apoio financeiro permanente para os familiares. Todos eles devem ter recebido credenciais de identidade falsas ou furtadas, exibindo nomes árabes de modo a levantar suspeitas contra Bin Laden e sua rede. Em outras palavras, Mr. Bush impôs a pena de morte a Osama Bin Laden e ao povo afegão sem prova de culpabilidade acima de qualquer dúvida razoável. Sob o ponto de vista jurídico, isto é inaceitável. Fonte: The New York Times

Nelson Candelaria

Comments
North Korea is not a threat to the US
North Korea is not a threat to the US
Torturing Jerusalem with USA's help: No peace, but eternal war for Jews and Arabs
Tel Aviv, Jerusalem, capitals and puppets
North Korea is not a threat to the US
North Korea is not a threat to the US
North Korea is not a threat to the US
Putin: Russia will continue spending enough on defence not to be killed
Putin: Russia will continue spending enough on defence not to be killed
Putin: Russia will continue spending enough on defence not to be killed
North Korea is not a threat to the US
ISIS threatens to conduct large-scale terrorist attacks in USA for Jerusalem decision
North Korea is not a threat to the US
Donbass without militia will be worse than Srebrenica - Putin
Russia not pulling out from any international agreements, Putin says
USA to ruin Russian-Japanese relationship with the help of Aegis Ashore system
Putin to Sobchak: We will never let them turn Russia into another Ukraine
North Korea is not a threat to the US
Should Russian athletes go to non-Olympic Games in South Korea?
Russia on the eve of another Crimea referendum
Russia to install laser navigation system on the Moon